15.4.15

WOOD PELLETS, DÓLAR E MERCADO

O dólar está em alta e a previsão é que continuará até início de 2016. Se por um lado essa alta representa uma desvantagem para os norte-americanos, uma vez que restringe a posição competitiva dos seus bens manufaturados em todo o mundo, é uma oportunidade para a exportação dos produtos florestais brasileiros para esse mercado (portas, painéis e molduras). 

wood pellets Brazil Classe A1

Quanto aos pellets de madeira (wood pellets), a produção continuará crescendo, apesar da disponibilidade de petróleo e gás natural baratos. A extensão deste crescimento será determinada quando as exigências do Reino Unido e da União Europeia para a biomassa sustentável forem esclarecidas e ações para o cumprimento das metas de redução dos gases do efeito estufa começarem a sair do papel.



No Brasil, a viabilização de projetos para produção de pellets depende ainda de estudo das questões logísticas, eficiência de produção e disponibilidade de madeira próximo ao empreendimento. Apenas oportunidades únicas de mercado fogem dessa regra, a exemplo da planta que deve ser concluída no início de 2016, no Rio Grande do Sul, pertencente à empresa Tanac., que tem contrato de suprimento de longo prazo com o Grupo Drax. Portanto, grandes expectativas, grandes oportunidades e grandes desafios para o mercado de pellets. Porém, tenho dito: Fazer previsões é fácil...difícil é acertar!!
Postar um comentário