10.11.18

TEM PELLETS BRASILEIROS NAS ESTATÍSTICAS INTERNACIONAIS

Durante muito tempo o Brasil nem constava nas estatísticas internacionais de pellets de madeira (wood pellets). Com produção insignificante, quando comparado com os grandes produtores mundiais como os Estados Unidos e Canadá, nem chamava a atenção dos analistas internacionais. Mas, com o crescimento constante da produção brasileira de pellets (470.000 toneladas em 2017), agora o país recebe destaque nas publicações científicas internacionais do setor. Como foi o caso do último relatório publicado pela Bioenergy Europe "Statistical Report 2018" que destacou, pela primeira vez (em rocho), a presença de produção na América do Sul (Brasil).


A partir de agora eles reconhecem a presença da indústria brasileira de pellets no mercado internacional e sabem que ela pode crescer ainda mais. Temos grandes e pequenos produtores desse biocombustível espalhados por quase todas as regiões do Brasil, evidenciando a versatilidade de nossa produção que pode atender todos os segmentos de mercado, seja externo ou interno. O ano de 2019 é bastante promissor para este mercado!

Mais informações sobre o relatório Bioenergy Europe "Statistical Report 2018":

29.9.18

UMA ASSOCIAÇÃO REPRESENTATIVA PARA O SETOR DE PELLETS

O mercado brasileiro de pellets encontra-se em pleno desenvolvimento, com novas empresas surgindo e as antigas ampliando sua capacidade produtiva, para atender demandas internas e externas de exportação. O setor está bem segmentado, com variedades de produtos pellets e dezenas de aplicações comerciais e industriais. No entanto, o mercado ainda não alcançou a maturidade desejada, pois há muitos setores que precisam ser explorados e que podem utilizar pellets. Além disso, há um consenso da necessidade de uma Associação de Produtores de Pellets representativa para fortalecer este segmento no Brasil. A ideia do associativismo está mais madura, nesse momento de crescimento do mercado, porque a soma de esforços proporciona soluções mais eficazes para os problemas coletivos dos produtores. Estou convidando os produtores, fabricantes de equipamentos, desenvolvedores de queimadores, consumidores do biocombustível e agregados para discutirmos esse assunto. O que vocês acham da ideia de uma associação para o mercado de pellets?

Leia mais...:

9.9.18

PELLETS BRASILEIROS AQUECEM INVERNO DOS EUROPEUS

Desde que começou no Brasil, há 15 anos, a indústria de pellets voltada para produção de energia térmica e elétrica vive o que parece ser o seu melhor momento. Esses pequenos cilindros de biomassa vegetal, altamente compactados e com baixa umidade, para concentrar o máximo de poder calorífico, estão ganhando terreno na substituição da lenha e do carvão como fonte de energia renovável, principalmente no mercado europeu.



Leia mais em:
https://www.gazetadopovo.com.br/agronegocio/agricultura/outras-culturas/refugo-e-bagaco-brasileiros-aquecem-o-inverno-dos-europeus-0h1tv8w3585c75p5azrg2yur8/



26.8.18

PRODUÇÃO E CONSUMO MUNDIAL DE PELLETS CRESCEM

O que os analistas previam está ocorrendo. O mundo consome mais pellets e, com isso, mais empresas estão produzindo pellets para atender a demanda em crescimento contante.


No Brasil não é diferente. A Produção também cresce anualmente. Mas, crescerá ainda mais porque há demanda pra isso!!!

1.6.18

NOVA FÁBRICA DE PELLETS DE MADEIRA (MIRASSOL/SP)

A mais nova fábrica de pellets de madeira (Start-up em Maio/2018) já está em plena produção. A Ecopellet do Brasil está localizada na cidade de Mirassol, atenderá todos os clientes da Região de São José do Rio Preto/SP e produzirá até 1.800 toneladas do produto por mês. 


O matéria-prima utilizada na produção dos bicombustíveis sólidos é a maravalha de pinus, obtidos das indústrias madeireiras da Região. A indústria completa tem os Equipamentos de Peletização da marca Gell (Gaboardi Energia Limpa Ltda) e comercializará o produto em embalagens de 15 kg, Big Bags e à granel. 



Para maiores informações sobre como adquirir o biocombustível renovável, entre em contato:
Tel: (14) 99835-1249 ou pelo e-mail: valmir.siviero@ecopelletbrasil.com.br.
Ecopellet Brasil Indústria e Comércio - Mirassol/SP.

30.5.18

BIOMASSAS UTILIZADAS NA PRODUÇÃO DE PELLETS BRASILEIROS

O Brasil possui ampla variedades de biomassas vegetais, que podem ser compactadas na forma de pellets, para fins energéticos. Há relatos na literatura de pellets de ponteira de eucalipto, pellets de eucalipto, pellets de bambu, pellets de capim-elefante e até misturas de materiais (70% de pinus com 30% de eucalipto), que tem o objetivo de facilitar o processo de densificação e minimizar os desgastes mecânicos na matriz perfurada de peletização. Já produzi aqui no laboratório pellets de casca de amendoim, pellets de pé de laranjeira, pellets de sorgo entre outros. 

No entanto, são estudos laboratoriais que buscam conhecer as características mais relevantes dessas biomassas vegetais  para  uso  energético,  sobretudo teor de cinzas,  poder calorífico,  densidade  a granel. Mas, no Brasil, a produção industrial de pellets acontece realmente  com  4  materiais  lignocelulósicos: Pinus (conífera), Bagaço de cana-de-açúcar, Acácia-negra (folhosa) e Casca de café. 

No Brasil, em 2017, foi produzido 470 mil toneladas com pellets desses materiais.  A   produção  deste bicombustível vem crescendo todo ano. Novas empresas estão surgindo, e em breve estará produzindo 1,0 milhão de toneladas de pellets agroflorestal! 

O mercado de base florestal agradece!!!

23.3.18

PRODUÇÃO DE PELLETS NO BRASIL SÓ CRESCENDO

Estou apurando os números da produção de Pellets de Madeira no Brasil em 2017. A quantidade desse combustível sólido produzidos no país tem aumentado todo ano devido a entrada de novas empresas (de grande porte) nesse segmento de base florestal.


Essa prévia indica crescimento do mercado de 2016-2017, confirmando as previsões de vários órgãos Internacionais que projetam maior consumo global desse biocombustível renovável.
Estou aguardando os dados de algumas empresas para fechar o relatório de 2017, previsto para os próximos dias.


17.2.18

QUALIDADE MÍNIMA PARA PELLETS COMERCIAIS

O Pellets Fuels Institute - PFI é a Associação Comercial de pellets dos Estados Unidos. Foi criada para representar a forte indústria de pellets norte-americana. Eles estabeleceram características mínimas de qualidade para esses biocombustíveis de uso residencial. Reproduzo aqui estes parâmetros de qualidade a fim de ajudar você produtor desse biocombustível sólido. Se seus pellets de madeira tipo A1 - Premiun estão sendo produzidos de acordo com estes padrões, com certeza será bem aceito pelos consumidores finais, tanto aqui no Brasil como nos EUA.

Medindo o comprimento dos pellets

  • Densidade a granel: 640,7 - 768,9 kg/m3
  • Diâmetro: 5,84 - 7,25 mm
  • Durabilidade Mecânica: > 96,5%
  • Quantidade de Finos: < 0,50%
  • Teor de Cinzas: < 1,0%
  • Comprimento: > 38,1 mm
  • Teor de Umidade: < 8,0% (base seca)
  • Cloretos: < 300 ppm

14.2.18

PORTFÓLIO DE CLIENTES

Os clientes são uma forma de reconhecimento, profissionalismo e eficiência na prestação de serviços. O mercado global exige qualidade no atendimento, suporte especializado com tempo de resposta eficaz. Nossa empresa se preocupa em aprimorar cada vez mais a qualidade desses serviços!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------   

GREEN ENERGY SOLUTIONS - Parnaíba/PI

Sr. Mário Josino Neto  - (85) 3392-9200

Serviço Realizado: Estudo de Certificação de Biomassa para o Mercado Exportação de pellets (Jul/2017)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------   

ACÁCIA BR PALLETS - Valença/BA


Sr. Simon Narbal  - (71) 9195-9068

Serviço Realizado: Estudo de Viabilidade técnica-econômica de implantação de fábrica de pellets ou briquetes (Jun/2016)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------   

AMÉRICA CORRETORA - São Paulo/SP










Sr. Marco Forcin  - (11) 5050-1075

Serviço Realizado: Estudo do Mercado de pellets de madeira no Brasil (Jul/2015)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------           

         BIOPELLETS BRASIL - Lins/SP
       Sr. Carlos Biziak   - (14) 3511-1156

Serviço Realizado: Relatório Técnico das condições dos equipamentos de peletização (Nov/2016)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

GRUPO ECOFORNO - Atibaia/SP








Sr. Ricardo Poulmann - (11) 4411-9796

Serviço Realizado: Relatório de Emissões da queima de pellets em fornos de pizzaria (Jan/2014)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

BIOPELLETS PENHA BRASIL - Penha/SC


Sr. Francesco Agresti - (47) 3345- 3548

Serviço Realizado: Estudo de Viabilidade Técnico - econômica de Fábrica de pellets (Ago/2015)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

GRUPO TRITONIC - Fernandópolis/SP











Sr. Elias da Silva - (17) 3442- 2875

Serviço Realizado: Estudo de Viabilidade Técnico - econômica de Fábrica de pellets com biomassa eucalipto (Ago/2014)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

BRASPINE MADEIRAS - Jaguariaíva/PR










Sr. Luciano e Daniel Maynardes  - (43) 3535-8300

Serviço Realizado: Estudo do Mercado de pellets de madeira no Brasil (Mar/2016)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

FUL TRADING  - Piracicaba/SP


Sr. André L. Moutran - (19) 2532-0871

Serviço Realizado: Estudo do Mercado Exportação de pellets (Set/2014)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

3.2.18

MERCADO DE PELLETS DE MADEIRA PARA 2018

Começamos o ano de 2018 com boas notícias para o mercado de pellets. No mercado internacional, há maior procura por esse tipo de biocombustível, por eles serem menos poluentes. Além disso, muitos países estão substituindo combustíveis fósseis por energia de baixo carbono, aumentando o mix de recursos renováveis em suas matrizes energéticas. Isso favorece o aumento do preço dos pellets cotados em U$ 156.45/ton (venda no mercado interno) e U$ 116,43/ton (para exportação). Aqui no Brasil, mais empresas estão operando nesse mercado em diversas regiões do país (ver Pellets Map 2018), utilizando variadas biomassas vegetais para a produção desses biocombustíveis: pellets de madeira (pinus, eucaliptos, acácia), pellets de bagaço de cana, pellets de casca de café, entre outros. Com a previsão de retomada da economia brasileira, espera-se que os pellets sejam mais utilizados como fonte de energia renovável no mercado interno. 



Para saber mais sobre os preços dos pellets no mercado, por favor consulte EIA.

2.12.17

ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DOS PELLETS

Todo investimento traz um certo risco, sobretudo no mercado de pellets de madeira que é relativamente novo no Brasil. As particularidades para se dar bem neste negócio estão nesse estudo de viabilidade técnica e econômica dos biocombustíveis de madeira.

30.10.17

PREÇO MÉDIO DOS WOOD PELLETS ESTÁ CRESCENDO

Os preços dos pellets no mercado internacional vem subindo, desde janeiro, alcançando o mais alto valor em outubro (US$ 158).


No Brasil, o preço médio está na faixa de R$ 500,00.

9.9.17

AUMENTOU A PRODUÇÃO DE PELLETS NO BRASIL


A recessão dos últimos anos, que derrubou a economia brasileira, não chegou para o mercado de pellets de madeira. A produção desse biocombustível sólido quase triplicou no Brasil, nos últimos 3 anos, por conta das empresas de grande porte que começam a operar no mercado Internacional. Novas fábricas, com grandes capacidades de produção, começam a operar no Brasil como a Tanac (pellets de Acácia negra), a Cosan (pellets de bagaço-de-cana) e a Forespel (pellets de madeira de pinus), todas visando a exportação desses biocombustíveis sólidos densificados. Se as previsões de consumo de pellets se confirmarem e o Brasil conseguir penetração nesse mercado, poderá se tornar um dos principais players dessas commodities.

Fontes:
GARCIA, D. P.; CARASCHI, J. C.; VENTORIM, G. O setor de pellets de madeira no Brasil. Revista Ciência da Madeira, v. 8, n. 1, p. 21–28, 2017. 
GARCIA, D.P. Cresce a produção de pellets no Brasil. Nota Técnica. Revista O Papel, setembro, 2017.

10.6.17

WOOD PELLETS: PRESIDENTE TRUMP, O INCONSEQUENTE!

O presidente dos EUA, Donald Trump, abandonou o acordo climático de Paris (COP-21). Essa decisão pode ter consequências catastróficas para a indústria de pellets dos EUA. O arrogante Presidente se esquece que há uma nova proposta europeia (RED II-artigo 26.6) de que os biocombustíveis de madeira só podem ser obtidos de países que são parte e ratificaram o acordo de Paris. Por isso, a inconsequente decisão pode prejudicar os próprios produtores norte-americanos que são os principais fornecedores de pellets para Reino Unido, Bélgica e Dinamarca.
Para o Brasil (Rússia e Norte da Europa), no entanto, a irresponsabilidade do topetudo Presidente pode ser benéfica. No curto prazo, é muito provável que os preços dos wood pellets aumentem e esses países terão o mercado europeu a disposição para exportar.

O RED II ainda é uma proposta que deve ser aprovada pela Comissão Europeia nos próximos meses. Sua aprovação é dada como certa, sobretudo porque é uma resposta à decisão de Trump. 

A retirada do Reino Unido da União Europeia (BREXIT) poderia potencialmente oferecer algum alívio para os EUA, mas é possível que os ingleses também estabeleçam requisitos semelhantes.


wood Pellets para exportação


25.3.17

O SETOR DE PELLETS DE MADEIRA NO BRASIL

       O artigo científico faz um diagnóstico do mercado de pellets brasileiro:
  • O Brasil tem 13 produtores ativos e o setor surgiu a partir do ano de 2004 (Ver Pellets Map Brasil 2017);
  • Em 2015, as treze indústrias peletizadoras produziram cerca de 75.000 toneladas do produto;
  • Os resíduos de Pinus (na forma de serragem, maravalha e pó de serra) são as principais matérias-primas utilizadas na produção de pellets
  • Em 2015, o mercado interno consumiu 76,93% da produção brasileira de pellets e 17.302 toneladas foram exportadas.
  • Os principais consumidores no mercado interno brasileiro são: aquecimento de aviário, hotéis, pizzarias e padarias.
  • Em média, os pellets de madeira são comercializados por R$ 471,15 a tonelada (FOB);
  • Os três principais problemas do setor de pellets, apontados pelos produtores, são: baixa demanda interna para o produto, custo alto da energia elétrica para a indústria e desconhecimento do produto pelos consumidores.
Maiores informações:

GARCIA, D.P.; CARASCHI, J.C.; VENTORIM, G. O setor de pellets de madeira no Brasil. Revista Ciência da Madeira (Brazilian Journal of Wood Science), v.8, n.1, p. 21-28, 2017.